Dr. Fernando Giovanella

Especialista em Cirurgia e Traumatologia Buco-maxilo-facial

Mestre em Implantodontia

Blog

Se Leonardo da Vinci fosse dentista, o que ele faria? Entenda porque o enxerto ósseo pode não ser a única solução para o seu caso.

Implantes dentários

Tem uma frase do Leonardo da Vinci que diz: A simplicidade é o último grau de sofisticação.

E é sobre técnicas que são ao mesmo tempo simples e sofisticadas que queremos discutir neste post.

No passado recente pensava-se que, grandes cirurgiões faziam grandes cirurgias, hoje em dia, a verdade é quegrandes cirurgiões fazem cirurgias minimamente invasivas.

Você que perdeu todos os dentes e sonha em ter dentes fixos novamente, poder comer com conforto, ter eficiência mastigatória, resgatar sua confiança ao sorrir e ter um sorriso harmonioso, você já imaginou se fosse possível ter dentes fixos através de implantes dentários, com uma única cirurgia rápida e simplificada, sem necessidade de enxertos ósseos ou múltiplas cirurgias, com uma taxa de sucesso por volta de 97% e ainda com grande possibilidade de fazer carga imediata, isto é, em até 3 dias estar com tudo pronto?

Ficou curioso? pois é, esta possibilidade existe. Seja bem vindo a técnica All-on-Four.

A técnica All-on-four ou, do inglês, tudo sobre 4, utiliza apenas 4 implantes em posições estratégicas e permite instalar 12 dentes fixos. Este técnica foi desenvolvida a mais de 15 anos pelo Dr. Paulo Maló, e essa técnica revolucionou totalmente a maneira como tratamos nossos pacientes desdentados totais. Mas você deve estar se perguntando, quanto mais implantes tiver não é melhor? A resposta é não. Por incrível que pareça, 4 implantes é melhor do que 6 ou 8 ou até mesmo 10. Leia até o final que irei te explicar tudo.

Quando os dentes são removidos, os ossos dos maxilares começam e diminuir em quantidade (tanto em altura como espessura). Após vários anos, a quantidade de osso é muito pequena e não existe (ou existia) condição de instalar implantes dentários. A solução que se tinha no passado era fazer cirurgias de enxerto ósseo (que nada mais é do que colocar osso nos maxilares). E da onde que vem osso? ou ele vem do próprio paciente (da crista ilíaca) ou vem do banco de ossos (pessoas que doaram).

Agora, a desvantagem do enxerto ósseo é que o paciente precisa fazer a cirurgia de enxerto, ficar sem usar a dentadura por um período (alguns pacientes não podem por causa da sua profissão, por exemplo vendedor, advogado); após um período de 4 a 8 meses é feito uma segunda cirurgia para que se instale os implantes no osso enxertado, espera-se mais 4 meses para os implantes calcificarem no osso, depois se faz uma terceira cirurgia para reabrir os implantes para só então iniciar o confecção dos dentes. O tempo de tratamento totaliza mais de ano (e 3 cirurgias).

Agora vamos falar de simplicidade, e vamos pensar no bem estar do paciente. 

Como a técnica All-on-four funciona?

Essa técnica utiliza-se do osso nativo do paciente em algumas regiões onde existe osso residual, através deimplantes inclinados, que fogem de áreas onde o osso está fino ou ausente. Além do mais, o fato de inclinar os implantes permite que utilizemos implantes mais longos alcançando o osso de melhor qualidade. Isso significa que esses implantes, na maioria das vezes, ficarão bem firmes já no momento da cirurgia, permitindo a realização da carga imediata (dentes fixos em até 3 dias).

E esses implantes inclinados não vão dar problemas no futuro?

Não! pois eles estão todos unidos, e isso já foi comprovado em vários estudos.

E se a perda óssea for tamanha que não seja possível nem mesmo instalar implantes angulados?

Nesses casos, a solução é utilizar o osso da maçã do rosto, chamado zigoma, para instalar um outro tipo de implante, chamado de implante zigomático.

 

Resumindo, quais os benefícios da técnica All-on-four?

Dentes fixos com estética 

Previsibilidade e estética, pois a prótese possui dente e gengiva e pode ser personalizada de acordo com o formato da face e com o sorriso de cada paciente. Como não dependemos da gengiva o paciente podemos colocar os dentes na posição mais estética possível pois a gengiva também será personalizada e consequentemente terá estética.

Evitar enxerto ósseo – apenas 1 cirurgia é realizada, ao invés de 3, e os implantes são instalados no melhor osso disponível que é osso nativo do paciente (nenhum osso enxertado é melhor que o osso nativo!). E além disso, esses implante são instalados onde o osso nativo apresenta mais densidade, isto é, é mais firme. O que é melhor você construir um casa com 4 estacas no rocha ou 8 estacas na areia? aqui o raciocínio é semelhante.

Alta taxa de sucesso – trabalhos científicos revelam uma taxa de sucesso por volta de 97% (maior do que no osso enxertado que é de 90% segundo alguns trabalhos científicos), ou seja, se perde menos implante no All-on-four porque os implantes estão no osso nativo do paciente.

Alta capacidade de higienizarão. Compare esses dois casos abaixo: neste primeiro caso (com 9 implantes), perceba como os implantes estão muito próximo um do outro, dificultando a higiene e a saúde do osso em volta de cada implante. Sabemos que os implantes devem estar no mínimo 3 mm de distância um do outro.

Com 4 implantes, temos um distância grande entre os implantes, dando saúde ao osso e para a gengiva em volta do implante, além de tudo, o paciente possui uma facilidade incrivelmente maior para higienizar a prótese.

Carga imediata – a imensa maioria dos casos conseguimos fazer a carga imediata. Os implantes que utilizamos hoje em dia promovem um embricamento muito grande no osso, ficando bem firmes, a ponto de ser possível já colocar os dentes fixos em até 3 dias após a cirurgia.

Tempo cirúrgico reduzido. Como instalamos apenas 4 implantes, a cirurgia torna-se muito mais rápida.

Passividade da prótese. A prótese fixa, composta por dentes e gengivas, apresenta no seu interior uma barra metálica, como se fosse um esqueleto que dá rigidez para a peça. Esta barra precisa estar 100% passiva sobre os implantes. Essa passividade é muito mais fácil de ser conseguida com 4 implantes do que com 6 ou 8. Pense em uma mesa com 4 pernas e uma mesa com 6 pernas. Perceba a diferença, mais pernas não irão estabilizar mais a mesa, mas sim ficarão apenas atrapalhando, dificultando a estabilidade.

Já reabilitados centenas de pacientes e nossa missão é difundir a possibilidade de tornar o sonho das pessoas realidade. Não estamos querendo dizer que a técnica All-on-four promove 100% de sucesso, mas é próximo disso, nem estou dizendo que os enxertos ossos não devam ser utilizados (eles continuam tendo sua indicação, principalmente para casos de implantes unitários e parciais), o que estamos dizendo é que se existe uma forma mais simples e rápida de resolver os problemas dos pacientes, por que fazer por meios mais invasivos?

Eu gostaria de terminar este texto repetindo a frase do gênio Leonardo da Vinci: “A simplicidade é o último grau de sofisticação”E as vezes, as coisas mais incríveis da vida, são as mais simples, como a simplicidade de um sorriso.

Até a próxima.

 

REFERÊNCIAS

1. Malo, P., B. Rangert, and M. Nobre, “All-on-Four” immediate-function concept with Branemark System implants for completely edentulous mandibles: a retrospective clinical study. Clin Implant Dent Relat Res, 2003.5 Suppl 1: p. 2-9.

2. Malo, P., et al., A longitudinal study of the survival of All-on-4 implants in the mandible with up to 10 years of follow-up. J Am Dent Assoc, 2011. 142(3): p. 310-20.

3. Nystrom, E., et al., A 9-14 year follow-up of onlay bone grafting in the atrophic maxilla. Int J Oral Maxillofac Surg, 2009. 38(2): p. 111-6.

4. Malo, P., et al., Extramaxillary Surgical Technique: Clinical Outcome of 352 Patients Rehabilitated with 747 Zygomatic Implants with a Follow-Up between 6 Months and 7 Years. Clin Implant Dent Relat Res, 2013.

5. Malo, P., et al., “All-on-4″ immediate-function concept for completely edentulous maxillae: a clinical report on the medium (3 years) and long-term (5 years) outcomes. Clin Implant Dent Relat Res, 2012. 14 Suppl 1: p. e139-50.

Voltar ao topo