Dr. Fernando Giovanella

Especialista em Cirurgia e Traumatologia Buco-maxilo-facial

Mestre em Implantodontia

Blog

Técnica All-on-4 (Arco total SEM ENXERTO)

Implantes dentários

Técnica “All-on-four": O conceito que revolucionou a implantodontia moderna.

 

Tem uma frase do Leonardo da Vinci que diz: A simplicidade é último grau de sofisticação.

E é sobre técnicas que são ao mesmo tempo simples e sofisticadas nas quais o conceito All-on-Four é aplicado.

No passado recente pensava-se que, grandes cirurgiões faziam grandes cirurgias, hoje em dia, a verdade é que grandes cirurgiões fazem cirurgias minimamente invasivas.

 

Você já imaginou se fosse possível ter dentes fixos através de implantes dentários, com uma única cirurgia rápida e simplificada, sem necessidade de enxertos ósseos ou múltiplas cirurgias, com uma taxa de sucesso por volta de 97% e ainda com grande possibilidade de fazer carga imediata, isto é, em até 3 dias estar com tudo pronto?

Ficou curioso? pois é, esta possibilidade existe. Seja bem vindo a Técnica All-on-Four.

 

A técnica All-on-four ou, do inglês, tudo sobre 4, utiliza apenas 4 implantes em posições estratégicas e permite instalar 12 dentes fixos. Este técnica foi desenvolvida a mais de 15 anos pelo Dr. Paulo Maló, e essa técnica revolucionou totalmente a maneira como tratamos nossos pacientes desdentados totais. Mas você deve estar se perguntando, quanto mais implantes tiver não é melhor? A resposta é não. Por incrível que pareça, 4 implantes é melhor do que 6 ou 8 ou até mesmo 10. Leia até o final que você vai entender por quê.

 

Quando os dentes são removidos, os ossos dos maxilares começam e diminuir em quantidade (tanto em altura como espessura). Após vários anos, a quantidade de osso é muito pequena e não existe (ou existia) condição de instalar implantes dentários. A solução que se tinha no passado era fazer cirurgias de enxerto ósseo (que nada mais é do que colocar osso nos maxilares). E da onde que vem osso? ou ele vem do próprio paciente (da crista ilíaca) ou vem do banco de ossos (pessoas que doaram).

Enxerto ósseo em bloco retirado do próprio paciente (crista ilíaca).

Agora, a desvantagem do enxerto ósseo é que o paciente precisa fazer a cirurgia de enxerto, ficar sem usar a dentadura por um período (alguns pacientes não podem por causa da sua profissão, por exemplo vendedor, advogado); após um período de 4 a 8 meses é feito uma segunda cirurgia para que se instale os implantes no osso enxertado, espera-se mais 4 meses para os implantes calcificarem no osso, depois se faz uma terceira cirurgia para reabrir os implantes para só então iniciar o confecção dos dentes. O tempo de tratamento totaliza mais de ano (e 3 cirurgias).

Foi durante o Mestrado em Implantodontia que nos deparamos com a possibilidade de otimizar o tratamento de casos complexos como esses. A Técnica All-on-4 literalmente revolucionou a forma como abordamos os maxilares atróficos diminuindo a morbidade e o tempo de tratamento, uma vez que não é necessário enxerto ósseo.

 

 

Como a técnica All-on-4 funciona?

Essa técnica utiliza-se do osso nativo do paciente em algumas regiões onde existe osso residual, através de implantes inclinados, que fogem de áreas onde o osso está fino ou ausente.

Além do mais, o fato de inclinar os implantes permite que utilizemos implantes mais longos alcançando o osso de melhor qualidade. Isso significa que esses implantes, na maioria das vezes, ficarão bem firmes já no momento da cirurgia, permitindo a realização da carga imediata (dentes fixos em até 3 dias).

E esses implantes inclinados não vão dar problemas no futuro?

Não! pois eles estão todos unidos, e isso já foi comprovado em vários estudos.

Caso clínico realizado com carga imediata pela técnica All-on-4

Mas, e se o paciente tiver o osso tão reduzido a ponto de que não seja possível nem mesmo instalar implantes angulados?

Nesses casos, a solução é utilizar o osso da maçã do rosto, chamado Osso Zigomático.

O Osso Zigomático é um osso de altíssima qualidade e pelo fato do possuir uma potente inserção muscular ele se mentem em bom volume mesmo nos casos após muitos anos de uso de prótese total (dentadura).  Conseguimos um alto travamento dos implantes possibilitando a carga imediata com altas taxas de sucesso.

A inserção muscular mantém o estímulo mesmo após a perda dos dentes.

Esse tipo de implante, chamado de implante zigomático, é maior e especificamente desenhado para ser instalado nesta região. Podemos associar a implantes convencionais na região anterior do maxilar (técnica híbrida) ou em casos com falta de osso mais severa, instalar 4 implantes zigomáticos (All-on-4 Zigoma).

 

                                                     All-on-4 Híbrido                        All-on-4 Zigoma

 

Por se tratar de uma técnica que exige extrema perícia cirúrgica e conhecimento dos ossos da região buco-maxilo-facial essa técnica é executada por poucos implantodontistas. Porém, quanto executada por profissional devidamente preparado é um procedimento seguro podendo ser executado, em casos bem selecionados, sob anestesia local.

 

Quais os benefícios da técnica All-on-four?

 

Dentes fixos com estética 

 

Previsibilidade e estética, pois a prótese possui dente e gengiva e pode ser personalizada de acordo com o formato da face e com o sorriso de cada paciente. Como não dependemos da gengiva o paciente podemos colocar os dentes na posição mais estética possível pois a gengiva também será personalizada e consequentemente terá estética.


Caso clínico: All-on-4 Híbrido  (implantes convencionais + implantes zigomáticos) + carga imediata.

 

Evitar enxerto ósseo  apenas 1 cirurgia é realizada, ao invés de 3, e os implantes são instalados no melhor osso disponível que é osso nativo do paciente (nenhum osso enxertado é melhor que o osso nativo!). E além disso, esses implante são instalados onde o osso nativo apresenta mais densidade, isto é, é mais firme. O que é melhor você construir um casa com 4 estacas no rocha ou 8 estacas na areia? aqui o raciocínio é semelhante.

 

Alta taxa de sucesso – trabalhos científicos revelam uma taxa de sucesso por volta de 97% (maior do que no osso enxertado que é de 90% segundo alguns trabalhos científicos), ou seja, se perde menos implante no All-on-4 porque os implantes estão no osso nativo do paciente.

 

Alta capacidade de higienizarão. Compare esses dois casos abaixo: neste primeiro caso (com 9 implantes), perceba como os implantes estão muito próximo um do outro, dificultando a higiene e a saúde do osso em volta de cada implante. Sabemos que os implantes devem estar no mínimo 3 mm de distância um do outro.

Com 4 implantes, temos uma distância grande entre os implantes, dando saúde ao osso e para a gengiva em volta do implante, além de tudo, o paciente possui uma facilidade incrivelmente maior para higienizar a prótese.


Carga imediata – a imensa maioria dos casos conseguimos fazer a carga imediata. Os implantes que utilizamos hoje em dia promovem um embricamento muito grande no osso, ficando bem firmes, a ponto de ser possível já colocar os dentes fixos em até 3 dias após a cirurgia.

 

Tempo cirúrgico reduzido. Como instalamos apenas 4 implantes, a cirurgia torna-se muito mais rápida.

 

Passividade da prótese. A prótese fixa sobre os implantes, composta por dentes e gengivas, apresenta no seu interior uma barra metálica, como se fosse um esqueleto que dá rigidez para a peça. Esta barra precisa estar 100% passiva sobre os implantes. Essa passividade é muito mais fácil de ser conseguida com 4 implantes do que com 6 ou 8. Pense em uma mesa com 4 pernas e uma mesa com 6 pernas. Perceba a diferença, mais pernas não irão estabilizar mais a mesa, mas sim ficarão apenas atrapalhando, dificultando a estabilidade.

 
   

Já reabilitados centenas de pacientes e nossa missão é difundir a possibilidade de tornar o sonho de ter dentes fixos realidade.

 

Não estamos querendo dizer que a técnica All-on-4 promove 100% de sucesso, mas é próximo disso, nem estamos dizendo que os enxertos ossos não devam ser utilizados (eles continuam tendo suas indicações, principalmente para casos de implantes unitários e parciais), o que estamos dizendo é que se existe uma forma mais simples e rápida de resolver os problemas dos pacientes, por que fazer por meios mais invasivos?

 

Segue abaixo um resumo comparativo.

 

Eu gostaria de terminar este texto repetindo a frase do gênio Leonardo da Vinci: A simplicidade é último grau de sofisticação. E muito estudo já foi realizado para podermos hoje reabilitar pacientes com segurança e previsibilidade sem exerto ósseo. O conhecimento avançou tanto a ponto de podermos oferecer o poder da simplicidade para resolver casos complexos.

 

Caso tenha alguma dúvida, entre em contato que teremos a maior prazer em respondê-lo.

 

 

 

 

 

REFERÊNCIAS

1. Malo, P., B. Rangert, and M. Nobre, All-on-Four immediate-function concept with Branemark System implants for completely edentulous mandibles: a retrospective clinical study. Clin Implant Dent Relat Res, 2003. 5 Suppl 1: p. 2-9.

2. Malo, P., et al., A longitudinal study of the survival of All-on-4 implants in the mandible with up to 10 years of follow-up. J Am Dent Assoc, 2011. 142(3): p. 310-20.

3. Nystrom, E., et al., A 9-14 year follow-up of onlay bone grafting in the atrophic maxilla. Int J Oral Maxillofac Surg, 2009. 38(2): p. 111-6.

4. Malo, P., et al., Extramaxillary Surgical Technique: Clinical Outcome of 352 Patients Rehabilitated with 747 Zygomatic Implants with a Follow-Up between 6 Months and 7 Years. Clin Implant Dent Relat Res, 2013.

5. Malo, P., et al., All-on-4 immediate-function concept for completely edentulous maxillae: a clinical report on the medium (3 years) and long-term (5 years) outcomes. Clin Implant Dent Relat Res, 2012. 14 Suppl 1: p. e139-50.

Voltar ao topo